Como a tecnologia revolucionou os meios de comunicação

O avanço tecnológico, com o passar dos anos, tem vindo a mudar gradualmente os nossos hábitos de consumo, mas também as nossas rotinas. Aquele jornal que outrora tinha de ir comprar à papelaria mais próxima, já não se encontra atualizado. Aliás, o mais certo será dizer que, na verdade, o jornal já não é somente um simples jornal.

A evolução dos meios de comunicação ditos tradicionais veio possibilitar que a informação estivesse disponível para si, a qualquer momento e a qualquer hora. Atualmente, a tecnologia permite que consiga aceder a qualquer meio de informação com uma simples pesquisa no Google ou, para os mais modernos, através de uma aplicação para smartphone.

Segundo indica notícia divulgada em www.jn.pt– um dos jornais portugueses mais antigos –, os conhecidos sites de notícias são as plataformas mais visitadas pelos internautas portugueses. Com base no estudo “Comportamento da População Portuguesa na Internet”, comprova-se que os meios de comunicação recebem uma média de 117 visitas mensais por pessoa, seguindo-se os ditos classificados, com uma média de 80 visitas mensais.

Agora, já não se compram jornais, consultamos a internet – é esta afirmação que podemos ouvir de algumas pessoas atualmente. Contudo, é preciso ter em conta que a informação disponibilizada online nem sempre é verdadeira. Por esse motivo, é preciso procurar por sites seguros que tenham fontes de informação igualmente seguras, de modo a evitarmos ser alvo de informação deturpada e, por vezes, falsa.

O portal observador.pt, que, através do seu site ou da aplicação para smartphone divulga notícias fidedignas, fazendo questão de mencionar sempre as suas fontes, é um exemplo de fonte de pequisa segura. Outro claro exemplo de portal confiável é o pplware.sapo.pt, reconhecido por nos manter atualizados relativamente às últimas tendências do mundo tecnológico de forma segura e fornecendo informações verídicas. 

Além de sites de notícias confiáveis, a preocupação em relação à segurança no mundo virtual fez com que outros tipos de plataformas surgissem. Isso sempre pensando na segurança dos usuários e em como viabilizar uma rede confiável. Exemplos das mencionadas plataformas são o www.airbnb.com, que reúne locais seguros e verificados para serem alugados em diversos lugares do mundo, e o www.galobonus.pt, que nos aconselha sobre os casinos online autorizados em Portugal, evitando, dessa forma, que os usuários escolham sites que não sejam fidedignos nem seguros.

Foto: Pixabay

Além desses, faz tempo que, em Portugal, ouvimos falar na Agência Lusa como uma fonte de informação confiável. Porém, a maioria das vezes que víamos referências à tão aclamada fonte segura era através de um jornal ou das notícias da hora de almoço e jantar. Hoje, o site www.lusa.pt permite-nos aceder e, por vezes, confirmar determinada informação. Desde notícias nacionais e internacionais a seções por temas ou informação detalhada sobre o que se passa nos países lusófonos, tudo isso se encontra ao seu alcance.

Além do comportamento dos leitores, a comunicação e a divulgação de informação por parte dos meios de comunicação também foram profundamente transformadas com a tecnologia. A começar pela aparição de novos conceitos – consequentes da influência digital – e terminando na divulgação audiovisual de notícias em direto ou reportagens, é possível concluir que as notícias de hoje em dia acompanham, seguramente, o avanço tecnológico.

Foto: Pxhere

No entanto, certo será dizer que, enquanto cibernautas, não procuramos obter informações apenas sobre o que se passa no mundo. O verbo pesquisar conquistou outra relevância no que diz respeito à informação. Com certeza, todos nós pesquisamos frequentemente diversos sites que nos fornecem informação sobre os restaurantes do país ou a respeito dos voos e hotéis a um preço mais acessível.

Como seria de esperar, o avanço tecnológico e o acesso aos meios digitais vieram impactar os nossos hábitos enquanto consumidores, quer de produtos e serviços, quer de informação. Na verdade, o importante não está na forma como consumimos, mas sim naquilo que consumimos. Seja notícias ou não, é importante dedicar um pouco de tempo a procurar fontes seguras e fidedignas.

Veja também...

Este site utiliza cookies para lhe oferecer uma experiência mais personalizada. Ao navegar está a permitir a sua utilização